Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gordura Localizada

Estava farta da gordura localizada, tive que procurar soluções!

Gordura Localizada

Estava farta da gordura localizada, tive que procurar soluções!

Sab | 24.03.18

Ter um cão ajuda a combater o stress

 

Quem tem cães já não duvidava, mas agora há estudos que comprovam que ter um animal de estimação ajuda a reduzir o stress, a combater a ansiedade e, em consequência, pode até ajudar a perder peso! Entre outras coisas, quem tem um cão faz mais exercício, tem (estatisticamente) a pressão arterial mais baixa e dá (mas também recebe) mais carinho.

Quem tem cães faz mais exercício.

Brincar o seu cão incentiva-o a fazer exercício físico. Como se isso não bastasse, muitos de nós passeiam com os seus melhores amigos de quatro patas todos os dias, o que se traduz em exercício diário regular. No geral, quem tem cães faz mais exercício do que quem não tem animais e mesmo do que quem tem gatos. Sabem que mais? Escrever isto faz-me ter saudades do bom tempo e de correr na praia com o meu cão. (Vooooolta, bom tempo!)

 

Ter um animal de estimação é relaxante.

Fazer festinhas ou acariciar um animal satisfaz a nossa necessidade de “toque”. Vários estudos comprovam que dar mimos a animais nos consegue acalmar quando estamos stressados, reduz a ansiedade e baixa o ritmo cardíaco. A American Heart Association considera que as pessoas com hipertensão têm mais probabilidade de controlar o problema se adoptarem um animal. Para quem tem gatos, sentir o ronronar é um ansiolítico a dobrar.

 

Os cães são ‘usados’ por psiquiatras.

Conviver e cuidar de um animal é benéfico para controlar certos transtornos psiquiátricos. Primeiro, tem o efeito relaxante que já mencionei acima. Mas, mais do que isso, os médicos afirmam que ter animais é bom para estimular as interações sociais e que reduz a agressividade.

 

Ter um cão é o segredo da longevidade?

Com todos estes benefícios, não admira que a qualidade de vida de quem tem animais seja superior. Mas um estudo Americano apresenta uma estatística impossível de ignorar: as pessoas com mais de 65 anos que têm um animal de estimação visitam o médico menos 30% das vezes. Ou seja, por cada 10 vezes que uma pessoa sem animais precisa de ir ao médico, quem tem cães ou gatos só vai 7.